Quem sou eu

Minha foto
Irene da Rocha, 57 anos, casada, pedagoga aposentada, agente social e internauta compartilhando atividades físicas voltadas ao público de meia e terceira idade.

Minha missão na rede: divulgar "voluntariamente" eventos sociais, culturais, educacionais, esportivos e beneficentes; incentivar a utilização da Internet, considerando um dos melhores meios de comunicação/divulgacão visual; cultivar a paz na rede, incentivando amigos pessoais e/ou virtuais exercitarem a cidadania.

E-mail para contato: esporte3idade@hotmail.com

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

REGRAS VOLEIBOL ADAPTADO - JORI 2012

No portal da Secretaria de Esportes, Lazer e Juventude (PORTARIA G.CEL 06/2012) do Estado de São Paulo poderão confirmar algumas alterações no voleibol adaptado (artigos 125 a 137):

"Artigo 125 - O voleibol adaptado será regido pelas regras oficiais, salvo as exceções previstas neste regulamento.
Parágrafo Único - A quadra terá as mesmas especificações do Voleibol Oficial.
Artigo 126 - Na quadra os jogadores são dispostos de maneira igual ao do jogo oficial.
a) Todos os atletas de uma mesma equipe devem usar uniformes (camisas, calções e meias) idênticos;
b) As camisas devem ser numeradas (silcadas ou bordadas) na frente e nas costas, com a numeração de 1a 20 (o correto é 1, 2, 3, etc. e não 01, 02, 03, etc.). O atleta com numeração inadequada ficará fora da quadra de jogo;
c) Os shorts ou bermudas devem ser idênticos, porém, não há necessidade de serem numerados;
d) No caso dos shorts ou bermudas possuírem numeração, a mesma deverá ser a mesma do número das camisas;
e) As meias devem ser da mesma cor e estarem visíveis, não sendo permitidas meias do tipo sapatilhas ou soquete;
f) Não será aceito nenhum tipo de adaptação no solado dos calçados, bem como quaisquer tipos de luvas ou acessórios nas mãos;
g) A utilização de quaisquer objetos que ofereçam riscos como: brincos, pulseiras, óculos, etc., serão de inteira responsabilidade de cada atleta;
h) os Técnicos e Assistentes Técnicos deverão obrigatoriamente se apresentar devidamente uniformizados.
Artigo 127 – Não será permitida a utilização de líbero.
Artigo 128 - Cada equipe deverá ter, obrigatoriamente, a presença mínima de 9 (nove) jogadores no início da partida e de no máximo 12 (doze).
§ 1º – Durante todo o 2º set deverão jogar, obrigatoriamente, no mínimo 3 (três) jogadores que não jogaram no 1º set. A substituição, se houver, deverá ser feita com os reservas que não participaram do 1º set. Entretanto, um jogador, nas condições exigidas, que não puder continuar jogando, devido à lesão ou doença, deverá ser legalmente substituído. Se isto não for possível, a equipe terá o direito de fazer uma substituição EXCEPCIONAL, além dos limites da Regra.
Uma substituição excepcional significa que qualquer jogador que não está na quadra na hora da lesão pode substituir o jogador lesionado no jogo. O jogador lesionado substituído não está autorizado a retornar à partida.
Uma substituição excepcional não pode ser contada, em nenhuma hipótese, como uma substituição regular.
§ 2º - A participação no 3º set será livre.
Artigo 129 - Altura da rede
2,35 metros para o masculino
2,15 metros para o feminino
Artigo 130 - Duração das partidas:
Serão em melhor de 3 (três) sets de 15 (quinze) pontos progressivos, sem vantagem; caso a partida chegue em 16 a 16 (dezesseis a dezesseis) terminará no17º (décimo sétimo) ponto.
Artigo 131 – O saque poderá ser arremessado ou golpeado com uma das mãos por baixo ou lateralmente, utilizando toda a zona de saque, podendo a bola tocar a rede.
Parágrafo Único - O saque poderá ser efetuado a 1 (um) metro dentro da quadra, somente para o feminino.
Artigo 132 - A cada interrupção e perda de saque por uma equipe, a reposição da bola em jogo pela outra equipe deverá ser precedida por um rodízio dos jogadores no sentido horário.
Artigo 133 - Constituem infrações:
a) Quando o mesmo jogador der 2 (dois) toques consecutivos;
b) O jogador que estiver colocado na zona de defesa (posições 1, 5 e 6) não poderá dar mais de um passo, antes de fazer o passe ou o último arremesso para a quadra do adversário;
c) Quando o atleta andar (tirar o pé de apoio do solo) ao receber a bola, tolerando-se a movimentação necessária para manter o equilíbrio do corpo. Entenda-se como pé de apoio aquele que for mantido em contato com o solo após a recepção da bola. Por exemplo: quando o atleta estiver com os dois pés no chão no momento em que receber a bola, a movimentação para trás ou para frente é que irá definir o pé de apoio.
d) não será permitido ao atleta ocupante das posições (2, 3 e 4) efetuem um golpe de ataque, dentro de sua zona específica, saltando. Considerar-se-á saltar quando o atleta tirar os 2 (dois) pés do chão.
e) Quando o jogador tocar o bordo superior da rede;
f) Quando o jogador, colocado na posição de defesa, saltar para passar a bola para o campo adversário, estando na zona de ataque.
g) O jogador que estiver na zona de ataque não poderá, em hipótese alguma, utilizar-se do recurso da ameaça.
Considerar-se-á ameaça quando o atleta executar movimentos, acima da linha dos ombros, visando confundir a direção de lançamento da bola.
h) Quando o jogador “enterrar” a bola dentro dos 3 (três) metros (zona de ataque) da quadra do adversário, independentemente da bola ir direto ao solo ou tocar no adversário. Entenda-se como “enterrar” a bola quando efetuar o golpe de ataque com a bola estando dentro do espaço de jogo do adversário;
j) Quando houver conduta indisciplinar ou não condizente com o esporte, por parte de um jogador, integrante da comissão técnica e ou da área médica, ocorrerá a aplicação da escala de punição prevista nas regras oficiais.
l) Será considerada invasão da linha central da quadra quando o jogador atrapalhar o adversário ou passar com o corpo todo à outra quadra, com ou sem a posse de bola.
n) Não será permitido o “pipocar” quando o atleta estiver parado (estabilizado) na quadra em condições de segurar a bola.
o) somente será permitido o “pipocar” quando o atleta estiver tentando recuperar a bola definitivamente.
Artigo 134 - Será permitido bloqueio, inclusive com os atletas saltando, e esse toque no bloqueio não será contado; portanto, a equipe receptora ainda terá mais três toques para repor a bola para a quadra adversária. Entenda-se como bloqueio a ação dos jogadores próximos à rede para interceptar a bola vinda do adversário estendendo-se mais alto que o bordo superior da rede, sem importar a altura do contato com a bola. Somente aos jogadores da linha de frente é permitido completar um bloqueio, mas no momento do contato com a bola, parte do corpo deve estar mais alta do que o topo da rede.
a) O contato de um jogador com a rede não é falta, a não ser quando interfere na jogada.
b) Jogadores podem tocar o poste, cabo de fixação ou qualquer outro objeto além da antena, incluindo a própria rede, desde que isto não interfira no jogo.
c) Quando a bola é dirigida para a rede e causa um contato da rede com um adversário, não há falta.
Artigo 135 – Será considerado toque quando o jogador receber ou passar a bola, tocar, segurar, encaixar com uma, ou as duas mãos, ou a bola tocar qualquer parte de seu corpo;
a) À um jogador que esteja em qualquer das posições de ataque (2, 3 ou 4) será permitido um deslocamento lateral ou frontal de 2 (dois) passos completos para realizar um ataque. Será permitido, também, que um atleta ocupante das posições citadas possa efetuar um ataque saltando quando estiver na zona de defesa, desde que totalmente atrás da linha dos 3 metros e mesmo sem contato com ela.
b) A bola poderá ser passada para o outro lado da quadra, sendo tocada, arremessada, empurrada ou jogada com uma ou ambas as mãos, observadas as condições estabelecidas neste regulamento.
c) Quando 2 (dois) jogadores segurarem juntos a bola, será considerado um toque de cada um;
Artigo 136 - Cada equipe terá o direito a um pedido de descanso de 1 (um) minuto em cada set;
a) Entre um set e outro o tempo de intervalo será 3 (três) minutos.
b) Não haverá tempo técnico.
Artigo 137 – As condutas incorretas menores e as condutas incorretas que acarretam punições.
As faltas por Conduta Incorreta Menor não estão sujeitas a punições. É dever do primeiro árbitro prevenir a equipe da hierarquia da escala de punição emitindo uma advertência verbal ou sinal manual para a um membro da equipe ou para a equipe através do capitão da equipe. Esta advertência não é uma punição e não tem conseqüências imediatas. Ela não deve ser registrada na súmula. A conduta incorreta dos membros de uma equipe em relação às autoridades, oponentes, colegas de equipe ou espectadores, é classificada em três categorias, de acordo com a seriedade da ofensa.
Conduta grosseira: ação contrária às boas maneiras ou princípios morais, ou qualquer ação expressando desrespeito.
Conduta ofensiva: palavras ou gestos insultantes ou difamantes.
Agressão: ataque físico real ou tentativa de agressão, ou comportamento agressivo ou ameaçador. De acordo com o julgamento do primeiro árbitro e dependendo da seriedade da falta, as punições a serem aplicadas e registradas na súmula são Penalidade, Expulsão ou Desqualificação.
Penalidade
A primeira conduta rude na partida por qualquer membro da equipe é punida com um ponto e saque para o adversário.
Expulsão
Um membro da equipe que é punido com expulsão não jogará pelo resto do set e deve permanecer sentado na área de penalidade sem quaisquer outras conseqüências.
Um técnico expulso perde seu direito de intervir no set e deve permanecer sentado na cadeira de penalidade.
A primeira conduta ofensiva de um membro da equipe é punida com expulsão sem qualquer outra conseqüência.
A Segunda conduta rude na mesma partida pelo mesmo membro é punida com expulsão, sem qualquer outra conseqüência.
Desqualificação
Um membro da equipe que é punido com desqualificação deve deixar a Área de Controle da Competição pelo resto da partida, sem qualquer outra conseqüência.
O primeiro ataque físico ou implícito ou ameaça de agressão é punido com desqualificação sem qualquer outra conseqüência.
A segunda conduta ofensiva na mesma partida do mesmo membro da equipe é punida pela desqualificação sem qualquer outra conseqüência.
A terceira conduta rude na mesma partida do mesmo membro da equipe é sancionada pela desqualificação sem qualquer outra conseqüência.
APLICAÇÃO DAS PUNIÇÕES POR CONDUTA INCORRETA
Todas as punições por conduta incorreta são punições individuais, permanecem válidas para a partida inteira e são registradas na súmula.
A repetição de conduta incorreta pelo mesmo membro da equipe na mesma partida é punida progressivamente (o membro da equipe recebe uma punição mais severa para cada sucessiva conduta incorreta).
Expulsão ou desqualificação devido à conduta ofensiva ou agressão, não requer punição prévia.
CONDUTA INCORRETA ANTES E ENTRE OS SETS
Qualquer conduta incorreta ocorrendo antes ou entre os sets é punida de acordo com a regra e as punições aplicadas no set seguinte.
CARTÕES DE PUNIÇÕES:
Advertência: verbal ou sinal manual, sem cartão
Penalidade: cartão amarelo
Expulsão: cartão vermelho
Desqualificação: cartões amarelo e vermelho (juntos)"